Design sprint: agilidade para solucionar desafios

 

Enquanto empreendedor, você sabe muito bem o quanto o tempo é importante para a sua empresa. Há uma metodologia que prioriza exatamente esse fator. Trata-se do Design Sprint.

Como você deve imaginar pelo nome, ela é especialmente importante para quem lida com conceitos visuais. E, bem: se unirmos tempo e design, falamos de dois conceitos importantíssimos para startups.

Aqui, falaremos um pouco sobre a prática que, cada vez mais, ganha adeptos entre empreendedores pelos motivos que falamos nos parágrafos acima. Acredite: é possível fazer uma revolução em cinco dias – ou quarenta horas.

O conceito, relativamente recente, tem muito (pra não dizer tudo) a ver com o mundo do empreendedorismo e, também, com a Abstartups. E tudo vai ser explicado abaixo. 

A começar pelo ano em que a prática surgiu. Se você acredita no destino, saiba que a Abstartups surgiu no mesmo ano que o aperfeiçoamento da dinâmica.

O Design Sprint

Mais do que isso: tanto o Design Sprint quando a Abstartups estão aqui para trazer eficiência para você e para a sua empresa. Diz o meme que “isso não pode ser só coincidência”.

Você, porém, não precisa estar por dentro, apenas, desse conceito. Existem uma série de práticas, dicas e conteúdos que nós podemos oferecer para você. E isso está ao seu alcance.

Aqui no Blog da Abstartups, existem uma miríade de textos com as mais diversas temáticas para você aprender, ter insights, consultar informações, buscar dicas e tudo que precisar.

O blog, porém, é apenas uma das tantas ferramentas que nós colocamos a sua disposição. Ao se associar, você passa a ter direito a usufruir de outras tantas.

Para dar uma olhada em tudo que oferecemos e, também, o investimento necessário, basta clicar aqui e verificar as tantas oportunidades que te aguardam. 

Depois de verificar como podemos ajudar a sua empresa e de se associar (ou incrementar ainda mais o seu plano), é hora de voltar ao tema que falamos lá no começo do texto.

E, bem: como diz a sabedoria popular, temos que começar do começo. E faremos isso sem perder tempo, para combinar com a temática do conteúdo.

Quando surgiu o Design Sprint?

Falamos lá em cima que o conceito foi aperfeiçoado no mesmo ano em que a ABStartups foi fundada, certo? Pois bem: chegou a hora de esmiuçar isso.

O criador do método é o designer Jake Knaap. Em 2010, para agilizar o processo de aceleração de startups, ele sistematizou uma série de práticas que ele julgava ser importante para isso. 

E, aí, chegou o ano de 2012. O ano da nossa fundação. E, também, o ano em que o design sprint foi ligeiramente modificado e ganhou repercussão mundial.

Tudo porque Jake passou a trabalhar em uma empresa que talvez você conheça. Ela se chama Google. Não sei se você sabe qual é, mas, se não souber, dá um Google. OH WAIT

Knaap foi contratado, especificamente, pela então chamada Google Ventures. A empresa, basicamente, era especializada em investimentos na área de tecnologia.

Fundada em 2009, a empresa foi crescendo. É claro que novos processos foram incentivados – e, também, ajudaram a marca a se tornar conhecida.

Sim, bastante conhecida. Não estranhe se você não conhecer a Google Ventures, ou não vê-la mais. Em 2015, ela fez um rebranding. Mudou o nome para GV e, de quebra, ganhou um logo novo.

E como esse método funciona?

Como dissemos nos primeiros parágrafos, é possível revolucionar a sua empresa, os seus produtos e/ou os seus serviços em cinco dias de trabalho. Ou, se quiser, quarenta horas.

Tudo isso, por sinal, guarda semelhanças com um conceito bem conhecido de empreendedores da área de tecnologia: o de lean startup. Falamos sobre o tema aqui – vale ler o texto que linkamos.

Tanto com lean startups quanto ao realizar o processo de design sprint, você vai:

  • Levantar hipóteses
  • Medir resultados
  • Aprender sobre processos e sobre a própria empresa

Em uma hora dessas, você deve estar ficando bem curioso sobre como realizar “esse tal de design sprint”. Nada mais normal que isso. Na realidade, chegou a hora de você ficar íntimo dele.

O processo padrão para realizá-lo se divide em cinco etapas. Como falamos, a técnica costuma durar cinco dias. Logo, se a matemática não mudou, temos uma média de uma etapa por dia.

Abaixo, vamos explicar cada uma dessas etapas. Embora os nomes sejam, muitas vezes, autoexplicativos, as descrições podem sanar dúvidas e gerar insights poderosos para quem nunca fez o processo.

Na realidade, vamos dar, ao menos dois substantivos (um em inglês e outro em português) e um verbo como títulos. Você pode escolher qual preferir:

 

  • Unpack – Definição – Entender

 

De nada adianta você identificar um problema e tentar solucioná-lo se não saber qual o tamanho da barreira a ser superada, certo?

Pois bem: é aqui que a equipe deve sentar e abordar qual(is) o(s) problema(s) deve ser solucionado. Ele se torna, então, o sprint semanal.

Deve ser compartilhado toda e qualquer informação, impressão e opinião. A riqueza de matizes para tratar um tema apenas contribui com toda a discussão.

 

  • Sketch – Divergência – Desenhar

 

Certamente você já participou de um brainstorming na vida. E, aqui, a dinâmica é mais ou menos parecida. Mas, como o próprio nome diz, o foco é na divergência.

Ao invés de todos falarem de ideias, fala-se em problemas. E é a solução deles que cada participante deve buscar solucionar. De maneira individual, se possível.

Ao final, todos analisam as ideias levantadas e falam sobre como tudo pode ajudar. Uma sacada genial? A junção de duas ou mais sugestões? A equipe é quem vai definir.

 

  • Decide – Decisão – Decidir

 

Pedimos desculpas pela redundância acima, mas não tem jeito melhor de resumir. Com as hipóteses levantadas, chegou a hora de verificar qual caminho será seguido.

Para fazer a escolha, é importante focar no tempo de retorno e no quanto é possível e viável realizar tudo que esse caminho exige. 

É interessante, aqui, elaborar um plano mais detalhado: um storyboard, com todas as indicações possíveis, é a nossa dica para você.

 

  • Prototype – Prototipação – Prototipar

 

Bom, as redundâncias vão ser comuns daqui pra frente, como você pode ver. Algo que ainda não tinha acontecido no design sprint, porém, vai acontecer nesse momento.

Se, antes, a equipe pensava e propunha ideias, agora é a hora de colocar tudo em prática. Como dizer no popular, esse é o momento no qual você vai colocar a mão na massa.

Sabemos que não tem como exigir um produto e/ou serviço de primeira, mas o desafio é fazer algo o mais verossímil possível. Confiamos em você – e você deve confiar na equipe.

 

  • Test – Teste – Testar

 

Aqui, entregue o serviço/resultado ao máximo de pessoas possível e identifique todos os feedbacks possíveis. É quase um MVP – mas o ideal é que ele esteja em um patamar acima.

Com base em tudo que foi apresentado pelos usuários, aperfeiçoe o que é necessário. E, para vender a solução, trabalhe com o que foi mais bem avaliado. 

Em último caso, é possível, também, descartar o projeto. E, aí, é possível (ou necessário), um novo design sprint para uma nova solução.

Pessoas e benefícios

Depois de uma descrição detalhada sobre cada etapa do design sprint, ainda faltam alguns pontos importantes sobre como colocar em prática o método.

Para começar, é necessário falar sobre os profissionais que devem estar envolvidos na dinâmica. São, ao mínimo, seis pessoas que devem estar no processo:

  • Um designer
  • Um stalkeholder
  • Um Product Manager
  • Um responsável por colher feedbacks
  • Um desenvolvedor
  • Um facilitador para comandar as dinâmicas

Claro que, de acordo com as demandas, momento e segmento da empresa, o número de envolvidos pode ser maior. Aí, cabe o bom senso de quem está no processo.

Como você deve imaginar, a prática traz uma série de benefícios. Alguns deles você pode encontrar abaixo:

  • Soluciona desafios de maneira conjunta
  • Acelerar ideias
  • Criação e refinamento de conceitos
  • Validar hipóteses
  • Cria um ambiente de inovação na empresa

Também ajudamos a acelerar a sua startup

Falamos bastante aqui sobre, basicamente, como melhorar a sua empresa. O design sprint fala sobre o incremento de maneira muito rápida, mas essa não é a única maneira de se chegar ao sucesso.

A Abstartups traz uma série de benefícios para você, a curto, médio e longo prazo. E, melhor que tudo: em uma série de situações.

Nós trazemos, por exemplo, uma série de informações para você. A começar pela StartupBase, um imenso levantamento interativo sobre empresas de tecnologia em todo o país.

Temos, também, uma série de pesquisas, conteúdos e comunidades. Tudo isso bem mapeado, para deixar tudo bem simples para você.

E, claro: aqui, no Blog da Abstartups, você se informa, aprende e tem a oportunidade de gerar uma série de insights para você e sua empresa. É uma oportunidade única.

A voz e os ensinamentos de profissionais conhecidos do mercado de trabalho também estão presentes por aqui por meio de mentorias.

Sabemos que o networking também é importante, ainda mais quando ele vem acompanhado de mais ensinamentos. E nós organizamos o CASE e o StartupON, eventos pensados para você, empreendedor.

Tudo isso, é claro, é potencializado quando você se associa à ABStartups. Nossos planos, certamente, são interessantes para você – e um deles trará uma ótima relação custo-benefício.

Você pode dar uma olhada nos benefícios oferecidos, investimentos e toda e qualquer informação que desejar aqui.

O design sprint te ajuda em curtíssimo prazo. A Absartups está aqui para colaborar com o seu negócio em qualquer situação.

About the Author:

Ana Flávia Carrilo
Apaixonada por escrita, comunicadora por nascença e formada em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Acredita no acesso a informação como forma de transformação social. Atualmente, faz parte da equipe de comunicação da Associação Brasileira de Startups, ajudando a desenvolver o ecossistema empreendedor brasileiro.