Capital Venture: saiba tudo sobre a forma de investimento

 

Conforme uma startup vai crescendo, nada mais natural que a necessidade de investimentos para ela também aumente. Logo, um termo ganha força: capital venture.

Acredite: o crescimento da sua empresa vai, naturalmente, te apresentar a esse termo que, para muitos, pode ser desconhecido. E cabe à ABStartups apresentá-lo, junto com algumas dicas.

(Antes que a gente se esqueça: é completamente natural desconhecer a expressão. Mais do que isso: é algo comum não conhecê-lo. Se esse texto está aqui, é porque a dúvida é comum. Você não é o único)

Nesta introdução, já podemos te dar uma dica logo de cara. Ou melhor, clarear um pouco a sua cabeça com o que vai ficar evidente daqui algumas poucas linhas.

  • Investimentos
  • Capital

Pois bem: hoje o papo é sobre como captar dinheiro para a sua empresa. Nada de técnicas, ferramentas, aplicações, serviços ou coisas do gênero. 

Mas não pense que, aqui, você não vai encontrar outros conteúdos voltados para essas temáticas que são tão importantes quanto a captação de investimentos.

Pois, então, perceba duas das palavras que falamos logo no primeiro parágrafo deste texto:

No Blog da Abstartups, você encontra textos dos mais diversos assuntos para aprender, ter insights, conhecer novos conceitos/ferramentas e etc. Você está mais do que convidado a navegar por aqui.

Não é só isso que você vai encontrar aqui na nossa instituição, porém. No nosso site, você pode ver uma série de menus com diversos temas interessantes para qualquer empreendedor.

Tudo que oferecemos está disponível para você, e o que está descrito é potencializado quando você decide se associar à Abstartups. 

Clicando aqui você encontra nossos planos, o investimento necessário e os diversos benefícios que você terá. Garantimos que você não vai se arrepender ao clicar onde indicamos.

Tudo isso é importante para o interior da sua empresa e da sua formação empreendedora. Mas, hoje, o assunto é capital – venture. (Pedimos desculpas desde já pela piadinha cretina)

O conceito não surgiu recentemente

Se o investimento em empresas de pequeno e médio porte são inerentes ao modelo neoliberal de Economia, um fato foi fundamental para que o perfil dos investidores mudasse.

Antes de 1945, quem decidia investir em empresas desse porte era, sempre, abnegados de famílias muito ricas e poderosas. 

Você, por sinal, certamente já ouviu falar de alguns desses nomes:

  • Wallenberg
  • Vanderbilt
  • Whitney
  • Rockefeller
  • Warburg

Pois bem: esses sobrenomes eram muitíssimos comuns como investidores em empresas com alto potencial de crescimento ao redor do mundo.

O ano de 1945, porém, é importante não só para o mercado de empreendedorismo, mas, também, para todo o planeta. Foi quando a Segunda Guerra Mundial teve fim.

Não deixa de ser clichê, mas o fim da chamada “segunda grande guerra” mudou toda a Terra. E a relação entre o capital e as empresas que querem atraí-lo foi a reboque. 

Já em 1946, surgiu a American Research and Development Corporation (ARDC). Ela é tida como a primeira empresa de capital venture do mundo. E ela tinha uma razão de ser muito nobre,

O foco da ARDC era atrair investimentos para empresas que pudessem, de alguma forma, empregar os soldados que voltavam das batalhas. Nada mais norte-americano que isso, convenhamos.

Um dos fundadores da foi Georges Doriot.E ele é figura fundamental para a mudança do mercado de captação de recursos. Não à toa, ele ganhou o apelido de “pai do capital de risco”.

Doriot, ex-reitor da Harvard Business School, em 1957, aportou US$ 70 mil dólares na Digital Equipment Corporation (DEC), empresa pioneira na montagem de PCs. 

Em 1968, esse investimento foi avaliado em US$ 355 milhões. Sim, você leu bem: o retorno foi de 1200x. Isso entre as décadas de 1950 e 1960. Ele merece a alcunha que ganhou, não?

Mas… detalhadamente, o que é capital venture?

Esse intertítulo tá bem direto, né? O texto não vai ser diferente. Vamos, aqui, ser o mais direto que conseguirmos. Até porque um conceito não é algo pra se brincar.

Capital Venture é, basicamente, um fundo de investimento de risco. Ela é ideal para empresas de pequeno porte em forte ritmo de crescimento. 

Como você deve imaginar pelo parágrafo acima, startups são um excelente exemplo de instituições que buscam recursos nesse modelo de investimento.

Elas são ideais para buscar a verba necessária para expandir ou, até mesmo, reformular a estrutura, o serviço, o produto ou o que quer que seja. 

Vale destacar, porém, que CV (como o fundo é popularmente chamado no meio empreendedor) não é para qualquer startup.

O ideal é que a empresa esteja na fase de operação. Caso você não saiba em qual fase a sua startup está, recomendamos o texto do nosso blog que você pode ler aqui.

(Nós falamos lá no começo que o Blog da Abstartups tinha uma série de conteúdos excelentes para você, né? Pois bem, olha a gente provando isso na prática)

Aqui, uma empresa já tem um crescimento razoável. O investimento que entrará, então, é o que vai garantir o próximo passo.

Você deve estar pensando que isso é bom demais para ser verdade. E, bem: como no mundo corporativo, existe, claro, a contrapartida. E você deve imaginar qual seja ela.

Em troca do aporte, o fundo de investimento terá uma porcentagem do quadro societário da empresa – proporcional ao valor aportado, evidentemente.

Não sabe quanto vale a sua empresa? Nós te ajudamos de novo. Clicando aqui você aprende a fazer o valuation da sua startup. É o que você precisa nesse momento.

Não confunda alhos com bugalhos – ou quase isso

Com certeza alguém mais velho da sua família (mãe, pai, avós, tios ou etc) já falaram esse ditado que está neste intertítulo. E, acredite: eles sabiam o que estavam falando. 

Eles, talvez, nada entendem do mercado das startups. Mas essa frase dita por eles tem tudo a ver com o mercado de capital venture, acredite ou não. Tudo por um motivo simples.

Muitas pessoas confundem o tema deste texto com private equity. E, bem, não sem razão. São métodos de captação de fundos com semelhanças. Pois vamos a elas:

  • Empresas que recebem os aportes não têm capital aberto
  • Investidores recebem capital social da empresas que recebe o aporte
  • Instituições que recebem o aporte já possuem margens de lucro destacáveis
  • Fundos costumam investir em mais de uma empresa

Como você pode imaginar, essas semelhanças são marcantes e, bem, têm poder para confundir empreendedores. Mas existem uma série de diferenças, também:

  • CV é para empresas em estágio inicial, enquanto PE é para negócios mais maduros
    • Por tabela: CV traz mais riscos, enquanto PE traz menos ranhuras
  • CV é para empresas em estágio inicial, enquanto PE é para negócios mais maduros
  • CV costuma atuar com tecnologia, enquanto PE tem maior miscelânea de alvos

O que eu ganho ao optar por esse método?

Quando falamos de investimento, estamos, naturalmente, falando de dinheiro. E, no popular, quando mexe no bolso, nós prestamos muito mais atenção.

E sabemos que, mais uma vez, estamos apelando para uma frase que remete aos nossos antepassados. É um misto de reverência e de lição: tudo que sabemos, devemos a eles.

Repetimos: os mais velhos podiam não saber nada do mercado atual, mas as lições deles são valiosas. Veja abaixo:

 

  • Experiência dos novos sócios

Ao optar pelo CV, você permite que o fundo de investimento passe a ter uma parte societária da sua empresa, como já falamos. E há algo que está implícito nisso.

Um fundo desses traz uma série de profissionais experientes e reconhecidos pelo mercado. Que podem te dar conselhos e abrir portas. Use e abuse disso.

 

  • Cobrança

Muitos não gostam de ter alguém demandando algo. Mas, por vezes, isso é necessário. Até por uma questão de motivação, quando você é cobrado, você reage.

Os sócios de um CV não estão dispostos a investir em quem cresce pouco. É o dinheiro deles que está sendo aportado. E, bem, eles vão deixar você bem ciente disso.

 

  • Evoluções

O dinheiro aportado não vai te permitir, apenas, contratar mais colaboradores ou incrementar a sua sede. Protocolos e métodos da empresa terão um respiro para se transformar. 

Tudo, claro, alinhado com toda a equipe – seja do seu quadro de funcionários, seja do societário. E isso inclui, é claro, os novos investidores.

Aqui, nós optamos por não falar do capital que entrará na empresa. Por um motivo simples: estamos falando dela desde a primeira palavra deste texto.

É inegável, porém, que o montante que entrará nos cofres da sua empresa é o grande benefício que o seu negócio receberá. 

É a hora do show!

Tudo muito bom, tudo muito bem. Falta, apenas, uma dúvida para você decidir se capital venture é uma boa solução para a sua empresa ou não: quando buscar um investimento desse tipo?

Aqui, voltamos a um dos tópicos iniciais do texto. Temos que falar da fase em que está a sua startup. 

Falamos que, para buscar um CV, sua startup deve estar na fase de Operação, certo? Ela, porém, deve estar quase indo para a fase seguinte: para a de Tração.

Não à toa falamos que a sua startup deve estar já em franco crescimento. É isso que investidores buscam: retorno rápido e abundante. 

É aconselhável, também, que a sua startup tenha um grande objetivo a curto ou, no máximo, médio prazo para alcançar.

Aumentar o time de vendas? Buscar uma sede nova? Modernizar estruturas? Lançamento de uma nova solução? Tudo isso é válido. Investidores amam novidades. Mostra trabalho e gana.

Existe outra atitude que mostra trabalho e gana. Essa, porém, consigo mesmo. Trata-se de manter-se sempre cercado do que existe de melhor no mundo do empreendedorismo.

Como a Abstartups pode te ajudar?

E, na Abstartups, nós podemos fazer muito por você. Mais do que te ajudar, podemos te fornecer todas as ferramentas para que você se torne um  empreendedor completo.

A começar, é claro, por manter você bem informado. E, se você quer se manter bem informado, você está no lugar certo.

O Blog da Abstartups é o local ideal para você ler sobre uma série de temas importantes sobre o mercado, aprender e ter insights para a sua empresa – e, quiçá, para a sua vida.

Por aqui, também temos a StartupBase. A nossa base de dados, com todas as startups cadastradas, estão ao seu alcance por local, segmento de atuação e diversas outras informações.

No nosso portal, você encontra, além de tudo que já falamos aqui, comunidades (e o mapeamento de cada uma delas), pesquisas e conteúdos.

Se você deseja ouvir a voz da experiência, você está bem servido por aqui. A ABStartups oferece mentorias com profissionais renomados no mercado para conselhos e ideias.

Sentiu falta do networking? Não precisa: nos dois eventos que organizamos, unimos contatos à teoria. A Conferência Anual de Startup e Empreendedorismo (CASE) e o StartupON que o digam.

Tudo isso, é claro, fica potencializado quando você decide se associar à ABStartups. Você terá uma série de benefícios e, certamente, temos um plano que cabe no seu orçamento.

Ficou curioso? Quer saber de onde vem toda essa nossa certeza? Você pode (e deve) conferir com os seus próprios olhos. Basta clicar aqui.

Afinal, decidir buscar o capital venture é uma decisão importante para qualquer empresa. A Abstartups te auxilia nisso e em todo e qualquer assunto que você demandar.

 

About the Author:

Ana Flávia Carrilo
Apaixonada por escrita, comunicadora por nascença e formada em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Acredita no acesso a informação como forma de transformação social. Atualmente, faz parte da equipe de comunicação da Associação Brasileira de Startups, ajudando a desenvolver o ecossistema empreendedor brasileiro.