Fases de uma startup: saiba tudo sobre cada etapa


A Abstartups você já conhece e já confia, certo? Pois bem. Nada melhor que começar um texto para falar de startups que lembrar uma informação bem interessante daqui.

No dia 24 de janeiro de 2019, o número de startups no país já passava de 10 mil. Mais precisamente, 10.365. Mas esse número já aumentou de lá para cá.

Como agrupar, então, tantas empresas em estágios tão diferentes?

Para resolver esse problema, saiba que é possível dividir as fases de uma startup e identificar os diferentes estágios de maturação de cada uma delas.

Por mais que a Abstartups esteja aqui para ajudar absolutamente todos os empreendedores, nós só criaríamos ainda mais dúvidas se tratássemos uma empresa que iniciou suas atividades há um mês com uma gigante do setor como a Nubank, um dos unicórnios brasileiros.

Aliás, você sabe o que são unicórnios no universo das startups? Clique aqui e entenda.

Certo, mas… quais são as fases de uma startup?

Aqui, vale destacar: o conceito de fases de uma startup não é uma ciência exata. 

Embora seja possível traçar paralelos nas histórias de diversas startups brasileiras, alguns estudos colocam mais e outros colocam menos etapas.

Nesse texto, vamos trabalhar com quatro períodos na vida de uma empresa de tecnologia que acaba de nascer. 

E, para evitar surpresas posteriores e, também, para impedir qualquer crise de ansiedade, já vamos dar o nome para cada uma delas agora:

  • Ideação
  • Operação
  • Tração
  • Scale-up

Os nomes você já sabe. Agora, chegou a hora de falar um pouco mais sobre cada uma delas…

Ideação: a adolescência

Cada um teve uma adolescência diferente, óbvio. Mas, em geral, pessoas dessa idade são criativos e sonhadores. A parte negativa é que nem tudo que é imaginado pode ser conquistado. 

Dentre as fases de uma startup, a ideação corresponde exatamente a esse momento. 

Depois de ter a sua grande ideia e começar a verificar como abrir uma empresa, é a hora de tirar tudo do papel e colocar em prática. 

Nessa hora, porém, algumas perguntas começam a aparecer. 

  • Quem é o meu cliente?
  • Eu sei explicar profundamente o meu produto?
  • Como explico para meu público-alvo o que quero alcançar?
  • Como falo para os meus clientes quais dores de cada um deles eu soluciono?

Essas quatro questões são apenas algumas que muitos empreendedores fazem. E todas elas (e todas as outras que surgirem) devem ser respondidas. Não importa que, depois, essas respostas mudem. Isso é normal, por sinal. A sua startup ainda vai se transformar bastante ao longo do caminho.

Com o perdão da rima, a ideação também é a hora da validação da sua startup. Pense em seu modelo de negócios, esteja próximo do seu público-alvo. Trabalhe para realizar o seu sonho.

E fique tranquilo: em muitos casos, não é hora de pensar em um investimento robusto. 

Nós sabemos que todo começo é difícil. Mas nós estamos prontos para ajudá-lo

Operação: a vida adulta

Acaba a adolescência, as festas vão rareando e os boletos batem na porta. É assim com quase todo mundo. Não seria diferente com as fases de uma startup. Mas as responsabilidades também trazem alguns pontos bem bacanas.

Com a sua ideia de startup bem consolidada, é a hora de ir ao mercado, buscar clientes e expandir sua operação.

Falando em mercado, um detalhe importante. É essencial que o seu produto e/ou serviço já possa ser adquirido de alguma forma.

Por isso, cá entre nós: é bacana demais a sensação de ver sua empresa crescendo, né?

Aqui, sim, é a hora de pensar em aportes e/ou rodadas de investimentos. Programas de aceleração e incubadoras também podem ser boas pedidas.

Então, também é importante pensar em como gerir seu tempo. Acredite: as chances dele ficar escasso são bem razoáveis. O networking também passa a ser importante. E sempre é bom começar a ficar mais atento com o fluxo de caixa da sua empresa.

Outra expressão que você deve se tornar íntimo a partir daqui: KPI.

KPI 

Do inglês “Key Performance Indicator”, ela significa, em tradução literal, indicador-chave de desempenho. 

Na prática, basicamente, o KPI indica o desempenho de cada processo de uma empresa. Com base em cada um desses dados, algumas informações ficam mais claros.

O que está dando certo na sua empresa, por exemplo, é um desses dados. O que pode melhorar, idem. Em muitos casos, até o mesmo caminho para que a mudança chegue pode ser vislumbrado

Mais uma dica valiosa de quem conhece o mundo das startups: pense na diversidade profissional e intelectual da sua empresa.

Aqui, quanto mais diferentes os sócios e os profissionais da sua equipe, melhor. 

Você é formado em Administração e tem sócios formados em Comunicação e em TI, por exemplo? Nada melhor que isso. Basta saber delegar as funções.

Ah! Nunca se esqueça do seu plano de negócios. Sempre o mantenha atualizado.

Tração: a maturidade

Embora não deixe de fazer parte da vida adulta, a maturidade é uma fase em que você já se conhece, conhece o mundo e sabe como dar passos mais certeiros. Isso não é diferente quando falamos em fases de uma startup.

Na prática, o objetivo aqui é claro: crescer. Com toda a vivência como empreendedor, o caminho, aqui, já está claro. E, para isso, rodadas de investimento e aportes são muito bem-vindos.

Para esse momento, as dicas são, basicamente, um olhar ainda mais especial para o fluxo de caixa. Cuidados com o capital que ronda a empresa são fundamentais nesse período.

Outro documento que deve ser atualizado: o Modelo de Negócios. É essencial tê-lo muito bem desenhado para aumentar a carteira de clientes. 

Também defina métricas para cada processo da sua startup. Lembre-se que o momento mais empírico e idealista já ficou para trás. O resultado é o centro da empresa, agora.

Nesse momento, por sinal, entra em cena uma palavra que vai se tornar muito comum na vida de um empreendedor: escalabilidade. 

Em poucas palavras, escalabilidade é a capacidade de um negócio crescer sem perder a sua essência. Guarde esse conceito.

O Modelo de Negócio também é importante aqui. Se estiver bem sólido, nessa fase, ele é capaz de aumentar o faturamento sem elevar tanto assim os custos. 

Scale-up: a apoteose

Não, sua startup não vai virar uma escola de samba. E garantimos que, aqui, falamos de algo bem melhor que uma música do seu artista favorito.

Mas, antes disso, é necessário retomar um assunto que foi falado lá em cima, quando esse texto começou.

Lembra quando dissemos que as fases de uma startup não são conceitos exatos? 

Então, scale-up é. E o fato disso acontecer é, basicamente, um dos motivos pelos quais ela se torna o topo da cadeia e o objetivo de dez entre dez empreendedores.

Para se tornar uma scale-up, a sua empresa tem que ter um crescimento de 20% em três anos consecutivos – seja em receita ou no número de colaboradores.

Um complemento importante: caso o crescimento seja no número de colaboradores, no começo desse período de três anos, a empresa já deve ter dez funcionários ou mais.

Sim, é algo raro. E é por isso que startups que chegam nesse nível são tão festejadas. Com toda a razão, né?

Vale ressaltar que alguns profissionais e estudiosos não consideram uma scale-up como startup. Entretanto, pensando em mostrar todas as fases de uma startup, mantivemos o conceito aqui.

Também é importante ter um modelo de negócios sustentável. Agora você entendeu porquê martelamos tanto nesse tema até aqui?

Além disso, rodadas de investimento são válidas para acelerar ainda mais o já espantoso crescimento.

Com uma equipe de colaboradores já mais robusta e bem desenhada, chegou a hora de recrutar alguns especialistas em áreas estratégicas. Generalistas, obviamente, são importantes e seguem tendo sua função, mas o olhar estratégico, aqui, pode transformar seu negócio.

Agora é com você!

Como falamos acima, todo mundo sabe que todo começo é difícil. E, até por isso, a Abstartups fez questão de explicar cada uma etapas de uma empresa. 

Por isso, caso você esteja lendo esse artigo, muito provavelmente você ao menos pensa em abrir uma empresa. E, também, deve passar por cada uma dessas etapas.

Também sabemos que a leitura de um artigo não traz todas as dificuldades que toda empresa passa. Há um componente que ninguém coloca, mas deve estar sempre com você.

Falamos, aqui, da força de vontade e psicológica de um empreendedor. Por vezes, ela é a principal rival de um empresário. E é isso que separa uma grande ideia de uma grande execução. 

Para te ajudar, lembre-se sempre que o descanso também faz parte do trabalho, seja ele qual for. E nada é melhor para a sua mente que um breve repouso. 

Nós também contamos com você. Sabemos que é a força do empreendedorismo, e de cada empreendedor, que faz a diferença para toda a sociedade e para todo o país. 

Por isso, ao falar um pouco das fases de uma startup, esperamos que você, empreendedor, esteja cada vez mais gabaritado para fazer a diferença. E você pode contar com a gente para isso!

 

About the Author:

Ana Flávia Carrilo
Apaixonada por escrita, comunicadora por nascença e formada em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Acredita no acesso a informação como forma de transformação social. Atualmente, faz parte da equipe de comunicação da Associação Brasileira de Startups, ajudando a desenvolver o ecossistema empreendedor brasileiro.