Crise em startups: o momento é difícil, mas também traz oportunidades

 

Toda a história da humanidade possui ao menos uma crise em períodos determinados. No mundo das startups não é diferente. E, na história da humanidade, então, nem se fala.

Hoje, vivemos um período de crise. Na realidade, uma não. Várias. E, obviamente, no plural: crises. Sanitária, econômica e política.

Não vamos entrar aqui na situação política porque cada um tem uma visão diferente sobre um mesmo fato. Daí para perdermos o foco e entrar em uma discussão improdutiva é um passo.

A sanitária também não é o nosso objeto de estudo. Ela, porém, acaba influindo bastante no momento econômico pela qual o mundo e o Brasil passam. 

Mas, convenhamos: por mais que saibamos que ficar em casa e lavar as mãos mantém você e todos ao seu redor seguros, nós não sabemos a fundo sobre a epidemiologia, por exemplo.

Sobre o cenário econômico, porém, temos algumas observações. Ainda mais quando falamos da parte do trabalho, especialmente na área de empresas escaláveis no segmento de tecnologia.

E isso não é de hoje. Aqui, no Blog da Abstartups, falamos de uma série de assuntos correlatos a tais empresas. Certamente você vai se identificar e aprender com alguns deles. Ou muitos.

Crises geram oportunidades

Há, porém, uma máxima que extrapola os limites do mundo das startups. Ela, na verdade, vai além de campos trabalhistas e econômicos. É quase que uma filosofia de vida. 

Não se sabe direito quem começou a falar tal expressão, mas a frase tornou-se quase que um clichê corporativo. E você, certamente, já ouviu falar que crises geram oportunidades.

E, bem… quando abrimos esse texto, falamos que o momento é de, pelo menos, três crises, certo? Se um momento complicado já gera oportunidades, imagina um trio desses instantes. 

Aqui, falaremos não apenas da crise. Também abordaremos essas oportunidades e,também, o motivo pelo qual cada situação pode ser algo interessante.

E, bem, oportunidades não escolhem hora, simplesmente. Portanto, dá uma olhada nas dicas que separamos para você, empreendedor:

Home office: já comum, mas ainda não universal

Startups, em geral, costumam ter uma cultura de trabalho mais moderna e voltada não só para a produtividade, mas, também, para o bem-estar do colaborador.

(Até porque, cá entre nós, uma anda de mãos dadas com a outra. As grandes empresas deveriam aprender isso com as startups, por sinal)

Uma das “novidades” que startups popularizaram no mercado de trabalho foi o advento do home office. O próprio nome da expressão, traduzido literalmente, dá uma ideia do que ele seja.

“Aportuguesado”, home office é algo como “casa escritório”. Por lógica, não precisa de muito para imaginar que a sua casa, em questão, torna-se o seu escritório.

Embora surgida no século XIX, a prática do home office passou a se tornar comum conforme as telecomunicações (sobretudo a internet) evoluíram. 

Mas, se popularizar, apenas na década de 2010. Mesmo ano em que também as startups se popularizaram. E isso não é coincidência. 

Nunca, porém, uma crise (que atingiu não apenas as startups) trouxe tanta oportunidades para essa dinâmica de trabalho crescer tanto assim. E isso já está acontecendo. 

Mais da metade do mercado de trabalho já adota o home office. E não estamos falando isso da boca pra fora. 

Dicas de home office 

De acordo com a ISE Business School, 51% das empresas passaram a seguir o distanciamento social, indicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), também no expediente.

Mais do que isso: o modelo de trabalho está sendo muito bem avaliado. A mesma instituição afirma que 80% dos gestores aprovam o expediente em casa.

Por parte dos colaboradores, a medida, costumeiramente, é bem aceita. Quem não gosta de dormir até mais tarde, não se estressar na condução, se vestir mais confortavelmente e almoçar em casa?

Há, porém, uma reclamação bem comum entre funcionários. Alguns afirmam que têm dificuldade para focar por conta de distrações diversas.

A Abstartups sabe disso. E, por conta disso, vamos enumerar seis dicas rápidas para que você seja produtivo também no período de crise de startups, em home office:

  • Ambiente

Não abra mão de uma cadeira confortável, um local tranquilo e que não tenha tanto barulho e com uma iluminação adequada: não tão forte para te atrapalhar nem tão fraca para te deixar sonolento.

  • Disciplina

O home office é um convite para perder o foco. Mentalize que tudo está favorável para você, mas tudo depende de si mesmo. Nada de cochilos ou sumiços. O trabalho não escolhe hora.

  • Rotina

Muita gente não gosta dessa palavra, mas a vida profissional exige certa repetição de atitudes. Não deixe de fazer nada por não estar no escritório: o ideal é que, em casa, você tenha horários semelhantes.

  • Amizades

Não é porque você não está com sua equipe que você deve ficar em uma bolha. Converse com eles, não apenas em temas relativos ao trabalho. Todo bem-estar é bem-vindo. Apenas, claro, não exagere.

  • Cuidado com a assertividade

Reuniões presenciais, via de regra, são mais frias que presenciais. Por conta disso, valorize a preocupação e a empatia quando estiver longe dos companheiros e clientes.

  • Avisos

Por vezes, na correria do cotidiano, você pode não avisar quem mora com você que está em casa e trabalhando. Ao comentar, você evita barulhos e situações constrangedoras.

Inconstância do mercado: o que fazer na crise em startups

Já falamos bastante sobre o que fazer para aumentar a sua produtividade trabalhando em casa. Antes disso, pincelamos rapidamente sobre como está a situação do mercado como um todo.

Chegou a hora de voltar a falar desse assunto. Pouco adianta você produzir se não conseguir entender os sinais que o mercado dá, afinal.

A última vez em que o mundo viveu uma pandemia viral dessas proporções foi em 1918, quando todo o planeta sofreu com a gripe espanhola.

Como você deve imaginar, a Terra era bem diferente há mais de cem anos. O mercado de trabalho, então, nem se fala. 

Portanto, é difícil ter uma “receita” prática sobre o que fazer. Todos, empreendedores, donos de grandes empresas e colaboradores, estão aprendendo na base da tentativa e do erro.

A Meca do mundo das startups, o Vale do Silício, na Califórnia, está nesse meio. E, como você deve imaginar, o que acontece lá está sendo repetido mundo afora.

Uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, publicada no dia 20 de abril, nos ensina que tudo depende do segmento no qual você atua.

Acredite: existem alguns segmentos que estão em alta por conta da pandemia do coronavírus. A crise em startups para os segmentos abaixo está, na verdade, próspera:

  • Telemedicina
  • Entregas
  • Aulas online/Educação À Distância (EAD)
  • Home office
  • Games

Onde estão as oportunidades?

É claro que todas elas estão trabalhando remotamente. A demanda, porém, cresceu muito em tempos em que todos estarão em casa.

Lembra quando falamos que toda crise traz, também, uma série de oportunidades? Pois bem: empreendedores, mais do que ninguém, sabem disso. E isso, mais uma vez, está provado.

A reportagem citada relata que surgem aplicativos e listas para networking de colaboradores demitidos por conta da crise do coronavírus. 

E, bem: o mercado é beneficiado, já que portas são abertas para quem está desempregado. E quem organiza e coloca em prática essas ideias torna-se, automaticamente, um empreendedor. Basta rentabilizar.

Mas… o que acontece se você não está naquelas áreas que levantamos e nem perdeu seu cargo? Há o que fazer?

Sim, há. Mas, aí, não tem muito para onde fugir. São as duas receitas clássicas de momentos turbulentos – como essa crise, em startups e em todo o planeta.

Estamos falando, primeiro, de cortar custos – e, infelizmente, cortar cargos e colaboradores. Sabemos o quanto essa decisão é sofrida, mas um mercado dramático exige situações extremas. 

Certo, mas… dois parágrafos acima, falando de duas receitas. Uma foi dita. E a outra, qual seria? O assunto, delicado, merece um intertítulo só para si.

Empreendedores saem na frente em crises

Sabemos que o texto ficou denso, repleto de informações. E isso é ótimo, sabemos disso. A questão é que a urgência que a pandemia do coronavírus trouxe para o mercado pode assustar muitos.

E, por isso, não tem jeito: esse texto, falando de crise em startups, pode ter colaborado com algumas agruras que um empreendedor tem. 

Há, porém, uma verdade que queremos dizer para te incentivar: não importa o que aconteça, empreendedores sempre saem na frente em crises.

Isso por dois motivos óbvios:

  • Donos de startups lidam com tecnologia, e quem lida com tecnologia está mais próximo do futuro
  • Como startups são empresas de rápida escalabilidade, elas, por si só, estão acostumadas a mudanças internas

 

Não só internas, na realidade. Muitas delas, por uma série de motivos (crises inclusas), muitas startups precisam pivotar

Pivotar, basicamente, é alterar o segmento de atuação em que uma empresa atua. Como você deve imaginar, essa situação é uma grande mudança. 

E, como toda grande mudança, exige estudo, planejamento e preparo não só do empreendedor, mas de todos os envolvidos. O Blog da Abstartups já falou sobre o tema aqui

Nós, porém, não estamos aqui apenas para te encorajar. Nossa ajuda para você vai muito além disso. E o Blog da ABStartups, que você está lendo, é apenas uma ponta dessa ajuda.

Onde encontrar mais informações?

A ponta, no caso, é a da informação. Nós sempre gostamos de falar da StartupBase, um imenso levantamento de startups Brasil afora, com diversos filtros para você pesquisar.

Também temos uma série de pesquisas, comunidades, conteúdos e, também, um grande mapeamento das empresas de tecnologia Brasil afora.

A instituição também oferece mentorias para os associados, com nomes mais do que relevantes e reconhecidos no mercado. Tudo ao seu dispor.

Networking é tão importante quanto preparo e experiência, nós sabemos disso. E a Abstartups promove o CASE e o StartupON, dois eventos para empreendedores.

Que, por sinal, terão um preço bem especial para você ao se tornar sócio da Abstartups. Por sinal, isso é bem simples – e está a sua disposição.

Para verificar os nossos planos de associação e, também, as vantagens que você terá, basta clicar aqui. Certamente um terá uma relação custo-benefício mais do que adequada para você.

Crises são cíclicas e sempre têm um fim. Crise em startups, idem. Não se esqueça, nunca, das oportunidades que elas trazem. O empreendedorismo pode tirar várias lições desse momento.

By |junho 16, 2020|ABStartups|

About the Author:

Ana Flávia Carrilo
Apaixonada por escrita, comunicadora por nascença e formada em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Acredita no acesso a informação como forma de transformação social. Atualmente, faz parte da equipe de comunicação da Associação Brasileira de Startups, ajudando a desenvolver o ecossistema empreendedor brasileiro.