Ecossistema de empreendedorismo inovador

Estar conectado ao ecossistema de empreendedorismo inovador é fundamental para aumentar as chances de sucesso do empreendedor

Empreendedorismo é uma palavra relativamente nova no dicionário brasileiro, mas desde o final do século XX houve não só uma popularização do termo, como uma evolução de seu ecossistema. Hoje há toda uma nova geração de empreendedores que já sabe que é essencial conhecer e saber usar o ecossistema de empreendedorismo inovador para aumentar suas chances de sucesso, aproveitando todos os recursos e facilidades oferecidos para quem pensa em inovação.

O desenvolvimento de ecossistemas de empreendedorismo pressupõe o entendimento de que a forma de criar negócios mudou em todo o mundo e a cultura do isolamento deve ser substituída pela cultura da interação, por isso que hoje o empreendedorismo é a principal estratégia de desenvolvimento econômico ao redor do mundo.

Por princípio, o ecossistema de empreendedorismo inovador é composto por seis domínios que procuram agrupar milhares de elementos: cultura favorável, disponibilidade de financiamento, apoio institucional, políticas e lideranças favoráveis, capital humano qualificado e mercados favoráveis aos produtos e serviços desenvolvidos.

Assim como a inovação emerge a partir da interação de diversos fatores, o ecossistema de empreendedorismo inovador só é possível a partir da atuação integrada de agentes que fomentam, organizam, e desenvolvem empreendimentos. A conexão com os agentes do ecossistema, como coworkings, investidores anjos, eventos, programas de empreendedorismo, aceleradoras, incubadoras, universidades, parques tecnológicos, projetos de cidades inteligentes e empresas já consolidadas possibilitam que as ideias inovadoras saiam do papel.

Focadas em inovação e tecnologia, as startups destacam-se em meio às pequenas empresas pela capacidade de dinamização da economia, liderando a nova forma de criação de negócios. À agilidade e capacidade de renovação constante da base produtiva associa-se a uma transformação no modus operandi de grandes empresas, que assimilam os novos modelos de inovação em ciclos curtos, inovação em rede, inovação em ciclos curtos, inovação em negócios e inovação disruptiva , tanto por associação, quanto por investimento.

Investimentos fortalecem cada vez mais o ecossistema de empreendedorismo inovador

No Brasil, apesar da crise econômica, aumentam os investimentos no empreendedorismo inovador, fortalecendo cada vez mais seu sistema, segundo o Instituto Anjos do Brasil. O ambiente teve um crescimento substancial nos últimos anos e os empresários já começam a entender que investir em startups é mais do que ampliar o próprio negócio. Com isso, ganham força as parcerias com os agentes do ecossistema de empreendedorismo inovador, estimulando a inovação com sustentabilidade.

Hoje, apesar de o Brasil não ser ainda um Vale do Silício, em cerca de dez anos já existe uma indústria do empreendedorismo completa, com players que oferecem conexão com investidores e capacitação, desenvolvedores de tecnologia e empreendedores cada vez mais bem preparados. Além disso, vários eventos combinam e potencializam o contato com players tão distintos quanto gigantes nacionais e internacionais, escolas com e sem fins lucrativos, consultores-gurus e programas de mentoria, aceleradoras, incubadoras e competições com prêmios.

Assim, da mesma forma que no ecossistema da natureza, no ecossistema de empreendedorismo inovador quando todos trabalham juntos para seu desenvolvimento e crescimento, todos ganham – e os empreendedores de inovação aumentam sua chance de sucesso.

Afinal, da mesma forma que na natureza, no ecossistema de empreendedorismo inovador quando todos trabalham juntos para seu desenvolvimento e crescimento, todos ganham. Quer nos ajudar a entender mais o ecossistema brasileiro? Acesse este link e responda a maior pesquisa realizada no Brasil para mapear o ecossistema de empreendedorismo inovador.

By |outubro 30, 2017|Equipe e cultura|

About the Author:

InovAtiva
Este artigo foi produzido pela equipe do InovAtiva Brasil, programa de Aceleração de Startups realizado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), pelo Sebrae e com execução da Fundação Certi.