fbpx

Como fazer um planejamento estratégico para startups

Em um mercado altamente competitivo e que vive em constante mutação, criar um planejamento estratégico para startups se torna essencial. 

Assim, a empresa passa pelas mais diversas situações sem grandes impactos que ofereçam risco à saúde do negócio.

Essa ferramenta oferece ótimos benefícios para o dia a dia, mas, para desfrutar disso, é preciso criar um plano detalhado, com alguns passos importantes.

Por esse motivo, neste conteúdo, explicamos o conceito de planejamento estratégico e indicamos por onde começar ao criar o de sua startup. Vamos lá? Continue a leitura!

O que é planejamento estratégico?

Antes de entender o que um planejamento estratégico representa, você precisa refletir na definição de planejamento propriamente dito.

O planejamento está relacionado com a preparação, organização e estruturação de um determinado objetivo — nada mais é que criar um plano para atingir um propósito

Já o planejamento estratégico funciona como um GPS, ele que norteará a rota necessária até o destino. O termo “estratégico” indica que esse plano deve ser feito de forma inteligente, o que envolve uma série de ações cujo propósito é alcançar metas traçadas.

Isso implica em reconhecer a situação atual da startup e fazer uma projeção de futuro, identificando os recursos disponíveis, elaborando metas e analisando resultados. 

Por que criar um planejamento estratégico para startups?

Entre os motivos que podem levar uma startup à falência, a falta de planejamento é a raiz dos aspectos que influenciam a mortalidade.  

O estudo “Causas da Mortalidade de Startups Brasileiras”, feito pelo Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da Fundação Dom Cabral, mostra que, no Brasil, pelo menos 25% das startups morrem num período menor ou igual a um ano e 50% morrem até o quatro ano.

Sem um plano sólido que envolve pesquisas sobre o potencial de mercado, acesso a capital e entre outros pontos essenciais para um modelo de negócio escalável, a empresa opera no escuro, o que a leva à descontinuidade.  

Além disso, a necessidade de elaborar um planejamento estratégico para startups se dá pelo fato de que, para sobreviver, o mercado exige dos gestores a capacidade de adaptação às novas necessidades e mudanças que surgem.  

Logo, o planejamento estratégico torna o negócio menos vulnerável à essas alterações, pois possibilita que a empresa:

  • crie um plano de ação — o que ajuda a evitar erros durante o percurso;
  • otimize o uso de recursos — os alocando de forma eficiente e evitando desperdícios;
  • gere estabilidade — já que as ações são direcionadas com base nas necessidades do mercado e dos consumidores.

Afinal, como criar um bom planejamento estratégico para startups?

Agora que você já entendeu a importância do planejamento estratégico para startups, chegou o momento de saber como criá-lo. 

A seguir, confira o passo a passo que preparamos!

Estude o mercado e o público

O primeiro passo antes de efetivamente criar um planejamento estratégico, é analisar o mercado em que a startup está inserida e o público-alvo dos produtos/serviços.

A partir dessa análise, você precisará definir:

  • a proposta de valor do negócio — com o objetivo de levar ao cliente uma ideia clara, concisa e transparente de como as soluções podem ser relevantes para ele;
  • os diferenciais dos produtos/serviços — características que tornam o produto essencial para o consumidor, entregando soluções para seu problema e influenciando positivamente a percepção de compra; 
  • a buyer persona — um personagem semifictício, baseado em dados e comportamentos reais do seu público-alvo, que representa o cliente ideal do seu negócio.

Analise as forças e fraquezas da startup

Aqui, você pode usar a famosa análise SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats) como método de avaliação, que tem como objetivo identificar os pontos fortes e fracos de um negócio.

Ela será um excelente ferramenta para um diagnóstico da situação interna da empresa e também de ambientes externos, de forma que ajude a correr menos riscos ou mesmo aproveitar oportunidades de crescimento.

Estabeleça a missão

Estabelecer a missão significa definir o propósito fundamental da empresa, ou seja, o motivo pelo qual a empresa existe.

De forma geral, a missão deve responder às seguintes perguntas:

  • o que minha empresa faz?
  • como ela faz?
  • para quem ela faz?
  • o que ela se propõe a entregar? 

Estabeleça a visão

A visão deve representar como a startup se enxerga no futuro e quais resultados pretende conquistar. 

Ela deve ser uma imagem ambiciosa a ser alcançada no longo prazo, pois será responsável por conduzir o planejamento estratégico. Assim, alinhando as ações com a visão, será possível procurar maneiras de atingir esse objetivo.

Defina os objetivos e metas

O objetivo se refere ao lugar que a empresa pretende chegar, representando, por exemplo, a finalidade de um projeto.

Já as metas, se relacionam com o caminho pelo qual o projeto deve se desenvolver. Elas consistem no que a empresa precisa alcançar em cada etapa, para, ao final, concretizar o objetivo. Por isso, devem ser criadas com prazos a serem cumpridos.

Use o método SMART para elevar as possibilidades de se atingir o objetivo. Ele é um acrônimo que significa: Específico, Mensurável, Atingível, Relevante e Temporal — onde cada letra da sigla representa um componente essencial para a definição efetiva de metas.

Crie um plano de ação

Com base em cada meta definida, crie um plano de ação! É nesse momento que o planejamento transforma-se em tarefas e cronogramas para o avanço ao objetivo.

Em um documento, registre as tarefas necessárias, os responsáveis para a realização, datas de início e término, custos, status, etc. Assim, ficará muito mais fácil visualizar o andamento do projeto.

Organize o orçamento

Para viabilizar o plano de ação, o planejamento estratégico para startups também deve incluir a organização do orçamento.

É fundamental prever quais serão os recursos a utilizar, o limite de gastos, investimentos necessários e os resultados financeiros esperados no curto, médio e longo prazo.

Monitore os resultados

O planejamento não acaba por aí, viu?! Depois de pronto, o monitoramento de resultados deve ser feito de forma constante! 

No cenário ideal, definida uma periodicidade para isso, a fim de analisar o que foi feito até o momento, quais fatores foram bons e devem ser mantidos e quais precisam melhorar.

Dessa forma, os erros são identificados mais facilmente e você conseguirá contornar as dificuldades.

E aí, gostou das dicas? Para complementar sua leitura, acesse o artigo “Os Pilares Das Finanças Corporativas Em Startups” e aplique em conjunto com o planejamento estratégico do seu negócio. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *