Startups no Brasil – A maturidade do ecossistema nos últimos oito anos


Em 2011, lá em Minas Gerais começava tímida a Abstartups para um pequeno ecossistema. Oito anos depois, acumulamos conquistas e celebramos a evolução das startups no Brasil.

Lá em 2011 quando um grupo de empreendedores fundou a Abstartups, o ecossistema no Brasil ainda era tímido, praticamente um bebê começando a engatinhar com poucos startups. Mas desde o começo, o objetivo da associação era ser capaz de fortalecer e fomentar novas comunidades. E com isso, criar uma rede de pertencimento para empreendedores de todos os cantos do Brasil e representar os interesses do setor em diferente instâncias.

Como resultado, muitas etapas foram vencidas de lá para cá, e crescemos muito junto com esse ecossistema. Se antes engatinhávamos, hoje nossa comunidade caminha com as próprias pernas e em alta velocidade. Só no StartupBase, são mais de 12 mil startups mapeadas, 74 comunidades identificadas, mais de 40 aceleradoras e 1.194 coworkings.

 

O ecossistema de startups hoje

Confira o dashboard atualizado aqui

Como avalia nosso Diretor Executivo, Rafael Ribeiro, “em geral, o ecossistema de startups no Brasil vem passando por um amadurecimento muito interessante. Os números estão provando isso, a gente vem num crescente de quase 20% no número de startups ano a ano, crescendo bastante em meio a crise que a gente sabe que o país enfrentou. Acho que isso reflete o amadurecimento do empreendedor também, que entendeu como é o processo de funcionamento de startup”.

As startups no Brasil estão propondo soluções principalmente nas áreas de SaaS (Software as Service), educação e internet. “Os empreendedores estão vindo mais preparados, captando mais dinheiro, com equipe mais formada, sem deixar o ego atrapalhar. Ele está calejado e isso faz muito bem para o nosso mercado”, explica Amure Pinho, presidente da Abstartups.

Como foi essa evolução?

Guilherme Junqueira, CEO da Gama Academy, faz parte dessa história e explica um pouco da evolução e maturidade do ecossistema nesses últimos anos: “As startups passaram pelo ciclo da “Educação Empreendedora” em 2011-2012, aprendendo sobre as metodologias e formas de desenvolvimento de empresas inovadoras escaláveis.”

Além disso, tivemos o ciclo do “Capital de Risco” em 2013-2014, quando houve  a euforia de investimentos nacionais e internacionais.

Em seguida, em 2014-2015 foi a vez do ciclo da “Inovação Corporativa”. Quando as empresas acordaram para a vida e passaram a enxergar startups como ponte para a inovação.

Hoje, podemos dizer que vivemos o momento mais maduro – conquistamos um mercado mais consolidado com startups unicórnios, importantes pesquisas sobre o ecossistema, evoluímos a ponto de termos discussões sobre uma legislação própria para empreendedores no Brasil (marco legal das startups) e nos espelhar em modelos internacionais (veja aqui).


Quais são os próximos passos?

Apesar de todas as conquistas que devem ser comemoradas, ainda há muito a se fazer! Pensando nisso, queremos propor um debate sobre esses próximos oito anos de evolução do ecossistema.

Ao estilo startup, vamos reavaliar o que já foi feito e quais os aprendizados devemos seguir para ir adiante.

Por isso, vamos reunir grandes nomes do ecossistema para nos ajudar nesse give back! Para participar do debate, você poderá acompanhar ao vivo a transmissão do 360º, o evento da Abstartups que discutirá o futuro do ecossistema brasileiro. e das startups no Brasil.

Se quer saber mais, acesse o site e reserve o dia 02 de maio na agenda.

 

By |abril 17, 2019|ABStartups|

About the Author:

Ana Flávia Carrilo
Apaixonada por escrita, comunicadora por nascença e formada em jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Acredita no acesso a informação como forma de transformação social. Atualmente, faz parte da equipe de comunicação da Associação Brasileira de Startups, ajudando a desenvolver o ecossistema empreendedor brasileiro.