Matéria de mercado: saiba porque é importante participar

Antes de entrarmos, de fato, no tema desse texto, quero propor um exercício de comunicação. Você sabe me responder quantos veículos de comunicação existem atualmente no Brasil? E em São Paulo? E quantos são os cadernos dentro dos principais jornais? Quantos jornalistas têm cada uma das redações dos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo?

Aposto que a maior parte de vocês não faz nenhuma ideia sobre essas respostas, não é mesmo? Não se sinta mal por isso, é normal! Eu, como assessor de imprensa, posso te dar alguns direcionamentos. Segundo dados de um levantamento realizado pelo Portal Comunique-se, um dos principais sites que cobre notícias do mundo do jornalismo e mídia, em 2016 foram identificados ao menos 11 veículos de comunicação que fecharam suas portas ou deixaram de circular em papel, nos últimos 12 anos.

De acordo com o portal, foram encerradas as atuações de uma emissora de TV, duas rádios, um site e sete impressos, muitos deles com anos de história na mídia brasileira. Veja, esses dados são de uma pesquisa em 2016, ou seja, esses números aumentaram em 2017.

Ok! Agora vamos entrar no cerne do tema desse texto. Como você pode observar, diminuiu a quantidade de veículos, cadernos e, consequentemente, jornalistas na redação. As sessões de Tecnologia foram incorporadas pelas de Negócios, que por sua vez passaram a integrar o caderno de Economia. Daí a importância de fazer parte de matérias de mercado – e não só da sua marca, especificamente.

É crescente o número de jornalistas que nos dizem que não estão mais escrevendo sobre apenas uma startup e sua atuação. Eles procuram desenvolver matérias mais extensas que abordem um nicho de mercado, suas problemáticas e quais são os players (aqui entram as startups) que procuram solucionar os dilemas do segmento.

Por isso, temos batido muito forte na tecla de que é preciso que você, empreendedor, deixe seu ego de lado e passe a agarrar, de maneira estratégica, as oportunidades de participar como fontes de matérias que englobem também outras empresas. Pode ser que você esteja lado a lado com alguma startup complementar ou concorrente à sua, mas isso não é, de modo algum ruim.

Explico porquê: se seu concorrente está lá, é bom você estar também para marcar território; se há uma empresa complementar, é ótimo mostrar como seu produto/serviço pode ser também consumidor pelo público desse player específico; e, por último mas não menos importante, você ganha espaço de mídia em matérias mais profundas, gerando credibilidade para sua marca.

Portanto, quando sua equipe de PR entrar em contato contigo para propor uma participação em matérias de mercado, ouça com atenção e aproveite a oportunidade para mostrar o quanto sua startup está bem posicionada nesse setor, tanto para o jornalista quanto para o público final.

About the Author:

Bruno Pinheiro
Com 13 anos de experiência em assessoria de imprensa, Bruno já trabalhou no atendimento de contas como BuscaPé, Fox, VivaReal, Qranio, EasyTaxi, boo-box, Samba Tech e Evernote. Já participou de grandes anúncios no mercado brasileiro e conduziu o lançamento de mais de 100 startups nos últimos 6 anos. Bruno Pinheiro é fundador da PiaR Comunicação, assessoria de imprensa de 35 startups no Brasil.