Inovação corporativa – Melhores práticas de relacionamento entre empresas e startups

 

Existem vários caminhos para empresas e startups se relacionarem. Em cada um desses caminhos existem particularidades que variam desde o tipo de inovação que você está buscando até a cultura da empresa. 

É importante sempre lembrar que a busca pelo relacionamento entre empresa e startups sempre nasce de um problema, seja ele descobrir a próxima tecnologia ou melhorar processos e serviços dentro da empresa. Quando o problema é identificado existem dois caminhos mais comuns: criar/apoiar o desenvolvimento da solução ou buscar por startups existentes. Nesse artigo vamos falar sobre boas práticas para quem decide adotar a segunda opção e procurar por startups. 

1- Identificar os problemas dentro da empresa

O primeiro passo na criação de uma POC ou contratação de startups é mapear os desafios dentro da empresa. Os desafios podem ser operacionais e ligados a economia e produtividade ou a tecnologia. De uma maneira ou outra é preciso trabalhar para engajar as áreas relacionadas em todo o processo. 

Melhores práticas para a identificação de problemas:

  • Antes da abertura de um desafio, sessão de matchmaking ou missão promova dentro das áreas envolvidas um exercício de identificação de desafios e dores da empresa. O contato com startups se torna produtivo quando os responsáveis da área tem um objetivo e sabem o que estão procurando.
  • Estabeleça metas e uma timeline clara para avaliar os resultados do projeto. Uma poc deve ter metas a serem batidas e um tempo para apresentar os resultados, isso contribui para o engajamento dos departamentos que estão testando as startups. Testes muito longos são desaconselhados, no entanto, não existe um período padrão para realização. 
  • Os desafios podem estar relacionados com otimização de processos em áreas específicas ou gaps de tecnologia na empresa. Para desafios que envolvem gaps de tecnologia é preciso mapear as iniciativas internas constantemente em alinhamento com as áreas. 
  • Não fazer missões sem um propósito definido. É importante levar a equipe para eventos e hubs de inovação, mas com um objetivo em mente.

– BAIXE AGORA O PLAYBOOK COM MELHORES PRÁTICAS PARA CONDUÇÃO DE POCs EM GRANDES EMPRESAS. 

2 – Cultura interna 

Cultura é um dos fatores fundamentais na implementação de uma POC. Ela garante dois aspectos fundamentais: comprometimento e abertura das áreas. 

  • Comunicar os resultados das parcerias de inovação e as estratégias usadas através de uma newsletter ou canal interno.
  • Usar eventos de inovação como uma porta para a empresa se aproximar de startups e evangelizar lideranças para construir cultura.
  • Engajar as lideranças no processo de contratação desde a identificação dos desafios a acompanhamento de métricas.
  • Ter uma figura pública para startups facilitando conexões. 
  • Estar em hubs de inovação como forma de aproximar a marca e os executivos da empresa a ambientes de startups. 

3 – Buscar por startups

Como buscar as startups com fit para sua empresa? Existem vários aspectos a serem analisados como capacidade de entrega, capacidade de escalabilidade, equipe e encaixe com a solução. 

Melhores práticas para procurar startups:

  • Criação de uma rede de influenciadores como forma de captação de startups. Ter contato constante com outros diretores de inovação, fundos de investimentos, associações e hubs. 
  • Criar um espaço de inovação. 
  • Não inserir na análise da contratação pré-requisitos como ter sido acelerado, recebido series A ou series B o mesmo vale para rankings e competições como filtro, é preciso criar seus próprios critérios. 
  • Olhar para alinhamento, análise de time, maturidade e capacidade escalar, porque se a poc der certo é preciso que a startup consiga crescer sem morrer ou perder a qualidade. 
  • Não ter ciclos fechados de captação de startups. Esse modelo limita o processo de busca. É melhor trabalhar com ciclos recorrentes de captação do que com chamadas abertas. 
  • Se aliar com aceleradoras para captar startups em um estágio mais avançado de maturidade e ter mais apoio no processo. 
  • Não trabalhar com listas prontas e se apoiar nelas como forma de captação e informação. 
  • Não contratar uma tecnologia que faz parte do seu core business. Esse tipo de tecnologia acaba sendo internalizada ou a demanda asfixia a startups contratada. 
  • Engajar com soluções gringas só porque é de fora. Às vezes elas não têm interesse no mercado local. 
  • Captar respondendo cold call ou por e-mail. Procure o que sua empresa precisa e não foque no que for aparecendo. 
  • Não se apressar. Antes de contratar inicie uma investigação. Fale com fundos de investimento, anjos, outros clientes e associações para entender o time, a capacidade de execução e outras experiências com a startup. 

4- Contratação de startups por empresas 

A esteira de contratação de startups ou POCs precisa ser diferente da de fornecedores regulares. Desde critérios de contratação que precisam ser ajustados, como tempo de CNPJ até a velocidade do pagamento. 

Melhores práticas na contratação de startups. 

  • Começar as POCs na empresa pelo jurídico e compras funciona como forma de evangelização da empresa. A esteira de contratação depende intimamente dessas áreas, então estimular os primeiros cases de sucesso dentro dela é um bom caminho para agilizar todas as contratações.
  • Batch de Pocs. Uma poc pode dar errado, ela é um teste que você faz dentro da empresa. Pensando nisso, uma boa prática é a batch de pocs, ou seja, rodar vários testes ao mesmo tempo para que o resultado positivo de uns cubra os custos de outros. 
  • Ter um processo de compras especial para startups com documentação adequada para startups e uma esteira ágil. 
  • Uma prática que ajuda a fortalecer o comprometimento e o engajamento com o projeto é usar o budget da própria área para rodar a poc e não o budget de inovação para isso é preciso ter indicadores mensuráveis de performance, um líder do projeto dentro da própria área. ex: Renault, accenture, natura. 
  • O budget da área de inovação também é usado para POCs quando não comprometer o engajamento das áreas.
  • POCs devem ser pagas. A startup está prestando um serviço e o pagamento garante seriedade e comprometimento com o resultado dos dois lados. 
  • Toda a implementação deve ter uma meta clara e mensurável que determinará seu sucesso: eliminação de risco, 50% de tempo ganho, redução de tempo de resposta em x dias, etc. 
  • Ao realizar a POC deixar os próximos passos claros caso a implementação atenda as expectativas. Seja uma contratação, compra,  parceria ou contrato de fornecedor. 

Para entender mais sobre como pode ser feita a relação entre grandes empresas e startups baixe o Playbook: melhores práticas no relacionamento entre corporações e startups criado pelo cômite corporate da abstartups.

By |dezembro 3, 2019|ABStartups|

About the Author:

Luiza Zambrana
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie é pesquisadora de crítica genética e estudos da criação, voluntária em iniciativas educacionais e apaixonada por transformação social. Começou sua trajetória no empreendedorismo atuando no apoio a empreendedores sociais e atualmente faz parte da equipe de comunicação da Associação Brasileira de Startups.