Devo escolher uma incubadora ou uma aceleradora?

Veja como funciona a incubadora e a aceleradora e descubra a melhor forma de alavancar sua startup!

Se você já tem ou está começando um negócio, com certeza está pensando em uma forma de crescer com sustentabilidade. E, com certeza também, já ouviu falar em incubadoras e aceleradoras – e imaginado como elas podem ajudar o seu empreendimento. Apesar de ambos os agentes dedicarem-se ao crescimento de startups, na realidade têm funções bem diferentes. Saiba mais sobre eles e descubra em qual deles sua startup se encaixa.

Incubadora ajuda startups a crescer ao longo dos anos

De forma resumida, vamos dizer que a incubadora está, basicamente, ligada à inovação. A incubadora procura apoiar negócios inovadores com potencial para tornarem-se grandes, dando estrutura física para funcionamento das empresas, suporte técnico, administrativo e jurídico, por exemplo, ajudando a moldar o core business.

Geralmente, as incubadoras ajudam startups em consonância com alguma diretiva regional ou governamental, como fomento à área de telecomunicações em regiões que precisam se expandir nesse setor, ou projetos biotecnológicos devido à proximidade de algum centro de pesquisa, por exemplo.

Como esse processo muitas vezes envolve uma verba pública, a incubadora requer um plano de negócio formal, que prove ser viável. A incubadora tem como base um modelo tradicional de consultores para ajudar as empresas iniciantes a sobreviverem nos primeiros anos.

Alguns anos em poucos meses: aceleradora

Para entrar no programa de aceleração, as startups passam por critérios de avaliação definidos por cada aceleradora e que visam verificar negócio, mercado e equipe. Uma vez aceita, a startup passa a fazer parte do batch (ou turma) que receberá um investimento inicial, mentoria e uma lista extensa de benefícios diversos.

Ao contrário das incubadoras, as aceleradoras não estão focadas em uma necessidade prévia, mas sim na capacidade de crescimento da startup para encurtar o ciclo de evolução. Mas não basta ser promissora, a empresa deve ser também escalável.

Como o capital é privado e as aceleradoras são lideradas por empreendedores ou investidores com larga experiência no mercado, não precisam de um plano de negócio: uma ideia boa de verdade pode estar apta a fazer parte do batch. Algumas aceleradoras, inclusive, chegam a oferecer inclusive um local de trabalho.

Ao final do programa, as melhores do batch são convidadas a participar do Demo Day, onde investidores, clientes e players estratégicos assistem ao pitch de cada uma delas, abrindo novas oportunidades de investimentos e negócios.

Grande parte das aceleradoras cobram equity, ou seja, uma participação nas ações da empresa em troca do capital investido. Contudo, algumas delas não cobram equity, como é o caso do InovAtiva e da Artemisia e outras.

E então, já sabe se a aceleradora ou incubadora é a melhor opção para o seu caso? Aproveite para conhecer mais sobre os programas de mentoria e os cursos oferecidos pela InovAtiva e descubra como alavancar sua startup!

By |setembro 27, 2017|Primeiros passos|

About the Author:

InovAtiva
Este artigo foi produzido pela equipe do InovAtiva Brasil, programa de Aceleração de Startups realizado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), pelo Sebrae e com execução da Fundação Certi.