7 dicas do CEO da We Do Logos para trabalhar em equipe

O Café com Associados é um evento promovido pela ABStartups em diversas cidades do Brasil para disseminar novas metodologias e estratégias para startups em fase de operação. A ABS conecta seus mantenedores e empreendedores experientes da rede de associados com empreendedores locais em um Café da Manhã descontraído.

Na #3 edição do Café, a ABStartups foi para Florianópolis para falar sobre Talentos junto com o Diretor Geral da PiaR Comunicação, Bruno Pinheiro, Elton Miranda, CEO da Contentools, Gustavo Mota, CEO da We Do Logos e a Talent Acquisition Responsible da Chaordic, Maisa Mattedi.

cafe_com_associados

Veja aqui algumas dicas que rolaram no evento.

1 – Crie uma cultura dentro da sua Startup

Cada empresa tem seu jeito de lidar com as interações e as tarefas do dia a dia. Isso é a cultura da empresa. Ela está nas coisas simples, como a rotina de almoço, e também nas coisas mais complexas como a definição da hierarquia.

Um dos grandes erros de uma empresa é tentar incorporar a cultura de outra. “Muitas vezes, a gente tenta criar uma cultura que não é nossa. A gente se inspira na do Vale do Silício ou de qualquer outra empresa, mas aquela não é a tua cultura”, exemplifica Gustavo Mota. Ache seu caminho e crie junto com seus sócios e funcionários uma cultura que funcione para todos. A cultura da sua empresa vai ser feita nas suas atitudes e não só em palavras. Então, descubra a empresa que você quer ter e pratique isso todo dia com todos seus funcionários.

2 – Empatia é fundamental na contratação

A pessoa pode ter as melhores referências, ter todos os pré-requisitos, mas se ela não estiver alinhada com o perfil da empresa, não contrate. É essa a dica do CEO da We Do Logos. “A cultura precisa bater, o ânimo tem que bater, tudo precisa estar alinhado. Se você colocar na sua equipe uma pessoa que tem um desalinhamento ideológico e de valores, as coisas não vão andar e pode acabar quebrando o seu time”, explica Gustavo Mota.

Antes dele contratar alguém, a pessoa precisa passar pelo gestor da área e pelo menos por mais dois sócios para garantir que ela esteja em sintonia com a equipe. Sem isso não existe contratação.

3 – Não abra processos seletivos em emergências

Evite abrir processos seletivos quando você está precisando muito de alguém. Isso prejudica o sua seleção e te faz pular etapas importantes de avaliação. Contratações são demoradas e precisam de tempo. Na We Do Logos, os processos seletivos acontecem o tempo todo e os gestores das áreas têm que dedicar semanalmente seu tempo para conhecer novas pessoas e colocá-las no pipe de contratação.

4 – Faça com que todos conheçam todas as áreas

O processo de contratação é o primeiro passo na hora de montar uma equipe, mas o que fazer depois? Gustavo Mota explica que na We Do Logos depois de contratada a pessoa tem que passar por todas as áreas da empresa e conhecer os problemas de cada setor, começando no atendimento, passando por vendas e assim por diante. “Se a gente não tiver um time fechado com todo mundo sabendo o problema que todo mundo tem, a gente não consegue montar um time campeão”, explica Gustavo.

5 – Motive seu time a estudar sempre

Para ter um time campeão, você precisa motivar ele a estudar e aprender sempre. Se você tem uma equipe que não lê, não aprende e não se atualiza você pode acabar ficando para trás. “Se você quer ser uma empresa líder, você tem que estar e ser muito mais preparado que qualquer outra empresa”, ressalta o CEO da We Do Logos.  

6 – Metodologia OKR

OKR ou Objectives Key Results é uma metodologia que mobiliza a empresa toda criando KPIs para cada membro e área da sua empresa. Além de oferecer uma meta para seu funcionário, ela permite que você mensure e conheça cada vez melhor a sua empresa. “Para sua startup funcionar, cada um na empresa precisa ter sua função e objetivo e precisa ter isso bem claro e definido”, afirma Gustavo.

Depois que a We Do Logos implantou a OKR na sua startup a dinâmica da empresa mudou. “Agora, todas as áreas da empresa estão dentro de um funil e todo mundo sabe exatamente o que fazer. Todos na empresa têm cinco KPIs para seguir e sabem que aquilo é o que é importante para a empresa”, conta o CEO da We Do Logos.

O mais importante da metodologia OKR é que ela vai permitir que você crie os KPIs junto com o time e explique porque cada um daqueles indicadores existe e como ele é importante para atingir a meta. Seu time precisa saber o porquê das metas e dos objetivos para se sentir motivado.

7 – Trabalhe com metas e motive seu time

Além das metas individuais do OKR, tenha uma meta global e faça com ela se torne um objetivo comum. “A meta do time é a meta que tem que puxar e colocar a galera no gás”, explica Gustavo.

Quer mais dicas para gerir a sua equipe? Veja a transmissão completa do evento aqui e fique ligado para os próximos Café com Associados.

By |julho 21, 2016|Equipe e cultura|

About the Author:

Luiza Zambrana
Formada em Jornalismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie é pesquisadora de crítica genética e estudos da criação, voluntária em iniciativas educacionais e apaixonada por transformação social. Começou sua trajetória no empreendedorismo atuando no apoio a empreendedores sociais e atualmente faz parte da equipe de comunicação da Associação Brasileira de Startups.