Olhos de lince: é preciso enxergar o que ninguém vê!

Quando olho para trás percebo que eu sempre fui “do contra”. Nadar contra a maré se tornou minha especialidade. Minha trajetória empresarial e meu posicionamento como liderança destacam-se justamente porque sempre fui na contra mão do mercado.

E como isso acontece? Quando os outros não olham para um mercado ou desacreditam de um determinado nicho, não entendem ou deixam o mercado “que não vai dar em nada”, é lá que eu estou. Nunca segui nenhuma “boiada” ou moda e me orgulho disso. É muito fácil se iludir e quebrar a cara quando você simplesmente aposta suas fichas porque “todo mundo” está fazendo.

É claro que por ter essa mentalidade e atitude paguei um preço alto várias vezes. Sei que em diferentes momentos e contextos do mercado e da minha própria vida eu me posicionei a frente do meu tempo, as vezes até da minha capacidade. Mas quando olho pelo meu retrovisor, o resultado foi muito positivo em todos os sentidos, principalmente em aprendizado.

Poucas pessoas estão dispostas a pagar esse preço, a dar a cara a tapa. A grande maioria se prepara apenas para os aplausos e retornos positivos, não suportam admitir que erram e que algo pode sair diferente do esperado. Olhos de lince é uma expressão em português que é usada para descrever alguém que tem uma visão acima da média, que enxerga além do que todos veem. Quantas pessoas você conhece com essa capacidade?

Conseguir enxergar além do obvio, olhar para onde todos estão olhando e ver o que ninguém consegue ver, definitivamente não é uma tarefa fácil! Diz a lenda que que Linceu foi o piloto da expedição dos “argonautas”, grupo composto por 56 heróis da mitologia grega, embarcaram no navio Argo para conquistar o Tosão de Ouro (a lã de ouro do carneiro alado Crisómalo). Linceu tinha uma visão tão boa que podia ver através de paredes de pedra para verificar a existência de potenciais tesouros escondidos. Outros afirmavam também que Linceu tinha uma visão tão fantástica que conseguia ver o que acontecia no céu e no inferno. Em uma ocasião específica, conseguiu contar de uma só vez e a uma distância de mais de duzentos quilômetros, o número de barcos de uma frota de guerra que tinha saído de Cartago.

A cada dia que passa eu busco treinar ainda mais esse olhar diferenciado. Na maioria das vezes me distancio, observo, tomo decisões. Eu olho pra onde todo mundo tá olhando, mas consigo ver o que ninguém está enxergando, alguns exemplos:

Foi assim com:

  • A Informática nos anos 80/90
  • Cooperativa de Serviços em 90
  • A Venda Porta a Porta nos anos 2000 
  • O Cartão Crédito Consignado no ano 2003
  • Os Ingressos OnLine no ano 2007
  • Investimento Anjo em 2009
  • Cryptomoedas em 2017 

Assim consegui chegar onde estou hoje, viver a margem de sombras nunca levou (e nem vai levar) ninguém a lugar algum! Se posicione, tome decisões, arrisque, acredite em você em primeiro lugar.

About the Author:

João Kepler Braga
Empreendedor que investe desde 2008; Reconhecido como um dos conferencistas mais sintonizados com Inovação e Convergência Digital do Brasil; Especialista em empreendedorismo, startups, marketing e vendas; Participa em mais de 170 StartUps; Lead Partner da Bossa Nova Investimentos; Premiado como melhor Investidor Anjo do Brasil pelo Startup Awards; Colunista de diversos Portais no Brasil; Palestrante internacional; Escritor e autor.