fbpx

Modelo de negócio para startup: qual é o melhor?

O modelo de negócio é considerado por muitos empreendedores(as) o ponto de partida para qualquer empresa alcançar o sucesso. Trata-se de um dos aspectos mais básicos na elaboração de um empreendimento. 

Hoje, existem diversos tipos de modelos de negócios para investir, desde os mais tradicionais até os mais inovadores. Mas, qual será o melhor modelo? Qual apresenta o maior potencial de faturamento? Qual é o formato ideal para a sua ideia de negócio? É sobre tudo isso que vamos falar neste artigo. 

O que é modelo de negócio?

O modelo de negócio é a forma como uma empresa gera valor aos seus clientes. A partir do modelo de negócio, você define os principais aspectos para poder colocar o seu empreendimento em prática. Ou seja, o modelo permite ter uma visão macro sobre aquilo que é essencial para o funcionamento do seu projeto.

Para definir o seu modelo de negócios, a ferramenta mais recomendada é o business model canvas (BMC) ou, simplesmente, canvas. O canvas foi criado nos anos 2000 pelo administrador Alexander Osterwalder e é utilizado até hoje para modelar negócios. A grande vantagem dessa ferramenta é que ela possibilita construir o seu modelo de maneira simples, visual e objetiva.

O BMC é feito em apenas uma página, contendo a definição dos seguintes itens da sua ideia de empreendimento:

  • Parceiros-chave
  • Atividades-chave
  • Oferta de valor
  • Relacionamento com o cliente
  • Canais de venda
  • Segmentos de cliente
  • Fontes de custo
  • Fontes de receita

Dica: acesse já o modelo de canvas específico para marketplace!

Tipos de modelo de negócio para startup

Existem diferentes tipos de modelo de negócio para startup. Alguns deles são mais escaláveis, outros são mais acessíveis ou mais rápidos de lançar. Inclusive, ideias disruptivas podem originar novos modelos de negócios que ainda não são utilizados! 

Vamos conhecer o funcionamento dos modelos que são aplicados pelas maiores startups do mundo:

Marketplace

O formato de marketplace é um dos mais escaláveis da atualidade. Afinal, é possível atingir um grande número de clientes sem precisar aumentar os custos do negócio na mesma proporção. Por isso, grandes startups de sucesso como Uber, Airbnb, Facebook, Google, IFood e Mercado Livre utilizam pelo menos algum aspecto desse modelo de negócios. 

Basicamente, um marketplace é um shopping virtual que conecta oferta e demanda, seja de produtos ou de serviços. Então, se você optar por criar um marketplace, irá lucrar por meio da intermediação de negócios. Ou seja, uma opção de monetização é cobrar comissões dos negócios feitos pela plataforma, o que é feito pelo IFood, por exemplo. Outra alternativa é cobrar uma mensalidade fixa dos seus vendedores.

Outra vantagem é que hoje já existem plataformas prontas e acessíveis, como o Ideia no Ar, que facilitam o lançamento de um marketplace, sem a necessidade de contratar programadores(as) e desenvolver do zero.

Dica: acesse já o checklist sobre como criar um marketplace de sucesso!

E-commerce ou loja virtual

O e-commerce é o modelo que você provavelmente já conhece. Muitos empreendedores, quando cogitam lançar um negócio, pensam logo em criar uma loja virtual. O maior atrativo é o negócio ser popular, simples e barato.

Porém, justamente por tais motivos, tal tipo de empreendimento não apresenta um alto potencial de faturamento e escalabilidade. Afinal, o lucro fica limitado à sua capacidade produtiva e, para faturar mais, você também precisa aumentar o investimento na produção. 

Por conta disso, o marketplace é considerado a evolução do e-commerce, já que gera um crescimento mais escalável para o(a) dono(a) da startup.

SaaS

Outro modelo de negócio para startups é o SaaS, que significa software as a service ou software como serviço. Este tipo de solução funciona como um software autônomo na nuvem e serve para automatizar processos que antes seriam manuais

Normalmente, o modelo SaaS cobra uma mensalidade dos usuários. Ou seja, o cliente não compra o código fonte do software e sim uma licença mensal para utilizar o serviço oferecido.

A Netflix e o Spotify são exemplos de empresas presentes no mercado que aplicam aspectos do formato SaaS. Outras startups, como o Conta Azul, voltado para a gestão financeira, também funcionam de maneira semelhante.

Apesar de eficiente, lançar uma startup do tipo SaaS pode ser caro e demorado, pois há a necessidade de criar e desenvolver o software do zero.

Franchising

O franchising também é um tipo de negócio bem conhecido entre quem deseja empreender. Nele, o(a) franqueador(a) concede aos franqueados(as) o direito de uso da sua marca. Em troca, os franqueados pagam uma porcentagem dos lucros ao dono da marca.

Este é o caso de empresas famosas como O Boticário, Cacau Show e Mcdonald ‘s. O benefício desse modelo é empreender uma marca que já é conhecida pelo público, e contar com produtos e experiências que teoricamente já funcionam no mercado.

No entanto, os negócios digitais estão em plena expansão, por isso, pode não ser tão vantajoso investir em franquias tradicionais. Hoje, já existe o franchising digital, como o Delivery Much, do ramo de delivery.

Redes Sociais

Sim, você também pode lançar uma rede social! Neste caso, geralmente o serviço é oferecido de maneira gratuita aos usuários. Mas, são veiculados anúncios publicitários, como esses que você vê quando está no YouTube, por exemplo. É dessa maneira que o dono da empresa obtém parte do seu faturamento.

O modelo de negócios de redes sociais pode ser difícil de fazer sucesso, mas validando o nicho de mercado escolhido, pode obter um crescimento exponencial.

Infoproduto

Se você tem algum conhecimento que pode ser compartilhado, o infoproduto é um modelo interessante de startup. Nele, você oferece informação aos usuários, seja por meio de vídeos, ferramentas, lives, cursos, livros, e-books, etc. 

A escalabilidade desse modelo também é relevante. Pense só: em uma aula presencial, existe um número limitado de ouvintes. Porém, no ambiente online, é possível ter quantos alunos você quiser e oferecer o mesmo curso várias vezes, sem ter grandes custos a mais com isso.

Como escolher o melhor modelo de negócios?

Basicamente, não existe necessariamente o melhor modelo de negócios. Existe aquele formato que é o ideal para a sua ideia de empreendimento. Confira alguns fatores que voce deve avaliar na hoa de decidir qual é o melhor modelo para você:

1. Analise o mercado

O mercado é um fator importante para a definição do modelo de negócio. Por isso, entenda qual é o melhor modelo para o nicho de mercado escolhido por você. As soluções do seu nicho são todas SaaS? Será que um marketplace se destacaria nesse meio? Existe alguma franquia cuja proposta casa com o seu tipo de público?

Qual é a dor que o seu negócio resolve? Quais são as necessidades e desejos do seu público?

2. Defina seus objetivos

Para saber qual modelo de negócio é mais adequado à sua ideia, é necessário ter objetivos claros. Ou seja, você precisa saber qual dor a sua solução resolve. Quais são as necessidades e desejos do seu público? De que maneira a sua startup soluciona um problema do seu consumidor? O que você agrega de valor para o seu cliente? Esses aspectos são os mais relevantes na hora de escolher o formato do seu empreendimento.

3. Entenda a escalabilidade

Outro ponto importante é avaliar a escalabilidade dos modelos de negócio. Se você quer ter uma empresa realmente lucrativa e inovadora, deve entender qual é o potencial de crescimento do modelo escolhido. Por exemplo, um marketplace é mais escalável do que uma loja virtual.

4. Defina a tecnologia

Por fim, para colocar o negócio para rodar, você precisa de tecnologia. Este elemento é um dos desafios na hora de executar bem o seu modelo de negócios. 

Caso você opte por lançar um marketplace, pode utilizar uma plataforma pronta, como o Ideia no Ar. Agora, se o seu desejo é lançar um e-commerce ou infoproduto, também existem plataformas específicas para atender esses formatos. 

Já para criar um SaaS, é preciso desenvolver do zero. Por isso, o recomendado nesse caso é validar bem a ideia com um MVP barato, antes de investir tempo e dinheiro em uma tecnologia mais robusta.

Conclusão

Se compararmos um negócio a uma casa, podemos dizer que o modelo de negócios é a definição dos principais pilares da construção. São os elementos do modelo de negócios que sustentam o empreendimento. Por isso, é fundamental defini-lo de maneira estratégica, utilizando aquele que melhor se adequa ao seu contexto. 

Quer lançar um marketplace? Agende já uma consultoria gratuita com a equipe do Ideia no Ar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *