O que rolou sobre empreendedorismo feminino no CASE 2018


CASE 2018 traz lideres do mercado de tecnologia para discutir empreendedorismo feminino!

A importância do empoderamento feminino não é novidade nas grades empresas e nos negócios, esse cenário não seria diferente no mundo das startups. O painel com grandes lideres do mercado como Gabryella (Lady Driver), Mary (Smarkets), Thelma (eMiolo) e mediação da Iana (Programaria) abordou alguns dos temas mais falados no espaço InovaBra.

Parece brincadeira, estamos em 2018 e ainda é necessário debater sobre a necessidade das mulheres no mercado de trabalho. Elas precisam enfrentar abusos, desrespeito, medo e diversos outros desafios para se posicionarem frente aos homens.

Mesmo sabendo que o universo de startups seja um ambiente mais inclusivo e propenso a diversidade, vivemos ainda em ambiente masculino. Por mais que a gente tente reconhecer os problemas e criar iniciativas, o papel do homem vai além de encorajar mulheres. Ao ver essas mulheres falando, vejo que o buraco é muito mais embaixo e ainda precisamos fazer MUITO para chegar em um ambiente igualitário. Exemplos como o que motivou a Gabryella a criar seu negócio, mostram exatamente a força que as mulheres precisam ter para penetrar nesse espaço.  

“Depois de passar por uma situação horrível com um motorista particular, pensei que nenhuma outra mulher deveria passar por aquela situação” Gabryella – Lady Driver

Com exemplos de vida, essas painelistas, compartilharam frustrações, sonhos, necessidades e como se posicionaram para conseguir ter sucesso. Seja no mercado financeiro, empresas de pequeno ou grande porte e criando negócios milionários, quando lhes disseram que não seria possível, elas chutaram a porta e não aceitaram, correm atrás dos seus sonhos e acreditam em si mesmas. Esse é o perfil das mulheres empreendedoras brasileiras que já estão mudando o contexto nacional.

Qual o cenário das mulheres no mercado?

Com um crescimento ainda que tímido nos últimos anos, a presença feminina nas empresas tem sido valorizada e segundo pesquisas , vem trazendo maior crescimento e resultados positivos para empresas que estão se comprometendo com a diversidade em seu ambiente de trabalho.

“A complementaridade dos gêneros é a fórmula do sucesso de qualquer negócio” Mary – Smarkets

Culturalmente as pessoas definiram o que é para mulher e o que é para Homem. O perfil da mulher é de tomar menos riscos, isso que pode ser bom para os negócios, evita que mais mulheres entrem no mercado que supostamente não lhes pertence. Podemos ver com clareza a diferença ao observar que apenas 12,3% das startups cadastradas na base do ABStartups são lideradas por mulheres.

Mas este é um cenário que vem mudando globalmente. Segundo pesquisa da Grant Thornton de 2014, o índice de mulheres em cargos de CEO aumentou nos últimos anos. Mostrando que esse espaço vem sendo conquistado aos poucos. Veja baixo no gráfico:

 

“Não é porque somos minoria, mas sim porque somos potência” Thelma  – eMiolo

Estudos mais recentes mostram que globalmente a presença da mulher em cargos de liderança cresceu de 66% em 2017 para 75% em 2018. No Brasil 29% das companhias possuem mulheres como líderes, superando a média global de 24%.

Sobre as dificuldades da trajetória

Para que o aumento da presença feminina no mundo corporativo aconteça, os ambientes de trabalho devem ser mais seguros para as mulheres desenvolverem seu potencial.

“Ainda existe a necessidade de criar ações para encorajar e preparar as mulheres para enfrentarem o mercado” Iana – Programaria

A pesquisa “Viver em São Paulo: Mulher” realizada pelo Ibope mostra que 2 a cada 10 mulheres paulistanas sofreram preconceito ou discriminação por serem mulheres. O número aumenta conforme a renda e escolaridade dessas mulheres, chegando a 32% com mulheres que ganham mais de 5 salários mínimos, pois diferente das mulheres com menos escolaridade, elas conseguem notar que estão sendo vítimas de preconceito e veem as diferenças que lhe são impostas.

“Nós não precisamos ser Super Heroínas” Mary – Smarkets

Para fortalecer esses dado ainda existe uma cobrança da mulher ser mãe. Esse preceito cria a ilusão de que mulheres não devem sonhar em serem grandes executivas, ou que não não podem ser mães e mulheres de negócios. Tendo de escolher um caminho para si.

Qual o segredo para ter sucesso?

Podemos tentar resumir em uma palavra, EMPODERAMENTO! A solução vem depois da situação, então quanto maior a consciência do problema, mais perto das soluções.

Ser forte para resistir aos absurdos, determinação para alcançar seus objetivos e ter apoio de pessoas próximas para enfrentar os costumes sociais e as imposições culturais da sociedade é uma premissa para ser uma mulher de sucesso segunda essas empreendedoras.

“Não é porque somos minoria, mas sim porque somos potência” Thelma – eMiolo

Iniciativas que desenvolvem mulheres tecnicamente e psicologicamente para estarem preparadas apresentam os melhores resultados dentro e fora das empresas.

Se você procura alguma empresa para trabalhar ou grupo que fortaleça a cultura da diversidade de gênero, abaixo ou coloquei os das empresas lideradas pelo painel:

Lady Driver
Smarkets
eMiolo
Programaria

Para finalizar…recentemente vi um meme na tv assistindo o famigerado programa “Encrenca”. O vídeo me fez lembrar do exemplo de mulher emponderada que eu sempre tive em casa e pra mim, é a realidade do futuro das empresas: https://www.youtube.com/watch?v=c2zDUunxgUU

 

 

 

By |janeiro 9, 2019|ABStartups|

About the Author:

Renato Rabelo
Surfando na onda da internet, me tornei um empreendedor autodidata participando e liderando a área de tecnologia e marketing digital em projetos de diferentes tamanhos. Hoje atuo como sócio e fundador da Keep.i, uma startup que pretende democratizar o gerenciamento de dados de marketing para agências e anunciantes.